Seja bem-vindo ao Sandra Bullock Brasil, sua maior e melhor fonte de notícias sobre a atriz no Brasil. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas, novas produções e muito mais, além de uma galeria repleta de fotos. Somos um site não-oficial, feito de fã para fã, e sem fins lucrativos, portanto, não temos nenhum contato com Sandra, sua família ou seus agentes. Sinta-se livre para desfrutar do conteúdo que oferecemos, como fotos, vídeos e entrevistas traduzidas. Caso queira repostar algo, pedimos que nos dê os devidos créditos. Esperamos que goste e volte sempre!

Sandra Bullock trouxe o poder da estrela de volta ao SXSW Film Festival na noite de sábado, (12), revelando sua nova aventura romântica “The Lost City”.

Ao lado do colega de elenco, Daniel Radcliffe, e pelos diretores Adam e Aaron Nee, fãs de várias gerações lotaram o Paramount Theatre de Austin para assistir Bullock se enroscar na selva com Channing Tatum. O lançamento da Paramount Pictures mostra Bullock como uma romancista viúva, cuja última turnê do livro é eclipsada pela modelo himbo que enfeita suas capas (Tatum). Acontece que suas tramas, baseadas em fatos sobre uma cultura antiga, oferecem pistas confiáveis para a localização de um tesouro inestimável, e um bilionário petulante (Radcliffe) sequestra Bullock para recuperá-lo.

Depois de ganhar grandes risadas e aplausos durante as duas horas de duração, Bullock (que também produziu o projeto) ficou muito feliz por exibir o filme em público. “Foi a primeira vez que o vi com um público. Na pós-produção, tudo era Zoom, tudo era virtual, tudo era em cubinhos e era só rezar. Vê-lo em um cinema é um lembrete de por que amamos o cinema”, disse ela. Bullock, que disse que se mudou para Austin depois de se apaixonar pela cidade durante as filmagens de seu clássico “Miss Simpatia”, fez uma longa sessão de perguntas e respostas após a estreia. Aqui estão algumas partes importantes: Cabeleireiro de Bullock convenceu Brad Pitt a estrelar o filme. Como foi relatado anteriormente, Pitt tem um papel coadjuvante em “The Lost City”. Poupando quaisquer spoilers, Pitt interpreta um ex-Navy Seal arrojado e robusto que ajuda Tatum em seu esforço para recuperar Bullock da ilha remota onde se diz que o antigo tesouro está enterrado. “Ele foi nossa oitava escolha”, brincou Bullock sobre Pitt, antes de explicar que “ele e eu temos o mesmo cabeleireiro. Ela disse a ele para fazer o meu filme e ela me disse para fazer o filme dele. Não estou brincando, foi assim que aconteceu.” De fato, Bullock aparecerá no confronto assassino deste verão “Bullet Train”, liderado por Pitt. Pode levar uma década até você ver Sandra Bullock na tela novamente. Em uma revelação sutil, mas surpreendente, Bullock disse à multidão que está se concentrando em criar seus filhos. Uma jovem membro do público feminino mencionou o papel de Bullock como produtora na comédia de George Lopez, e perguntou se ela planeja fazer um trabalho mais criativo com as comunidades hispânica e chicana. “Adoro histórias que mostram a imperfeição do amor dentro das famílias e comunidades. Eu adoraria [continuar fazendo isso] quando eu terminar de ser mãe. Eu vou voltar a isso. Eu não sei quando. Provavelmente quando forem adolescentes, com 16 ou 17 anos.” Ela repetiu o pensamento novamente, quando outro membro da plateia perguntou ao elenco e aos diretores sobre seus próximos projetos. O filho de Bullock, Louis, tem 11 anos, segundo relatos, e sua filha Laila, 8. Fazendo as contas, é muito tempo sem Sandy na tela grande. O papel de Daniel Radcliffe foi escrito para Oscar Nunez. “The Lost City” tem um elenco de apoio matador além de Pitt, incluindo Da’Vine Joy Randolph, Raymond Lee, Héctor Aníbal e Bowen Yang. A estrela de “The Office” Oscar Nunez também rouba a cena como um piloto de avião de carga peculiar, e foi feito para um papel muito maior. “Nós escrevemos o papel para o Oscar, o papel em que você está,” Bullock disse a Radcliffe no palco. “Descobrimos que ele não estava disponível. Foi tipo, ninguém ligou para Oscar?” A estrela elogiou todo o elenco como “absoluta alegria de estar por perto, pessoas que simplesmente te encantam quando abrem a boca”. Ela estava mais feliz, no entanto, visando sua co-produtora Liza Chasin. “Nada me deixa mais feliz do que fazer Liza rir. Estávamos nas trincheiras desde o início. Somos muito tipo A e muito mandonas”, disse Bullock. Em sanguessugas, “Speed 2” e a bunda de Channing Tatum. Sendo uma aventura na selva, a natureza é um inimigo tão formidável quanto Radcliffe e seus capangas para os protagonistas do filme, Bullock e Tatum. Isso inclui uma cena em que Tatum está coberto de sanguessugas depois de atravessar um rio. Bullock deve remover um aglomerado particularmente grande da parte traseira nua de Tatum, que carinhosamente recebe minutos de close-ups ininterruptos. Um membro experiente da plateia apontou que em “Speed 2”, de Bullock, as sanguessugas são um ponto importante da trama envolvendo o vilão do filme, Willem Dafoe. Ela foi perguntada sobre qual encontro com sanguessuga ela preferia mais. “Ambos têm seus prós e contras. Eu sou uma atriz comprometida – seja em um barco muito lento em direção a uma ilha onde poderíamos ter pulado, ou cavando coisas da bunda de Channing. A escavação com Chan é uma que eu faria repetidamente.”
“The Lost City” estreia em todo o país em 25 de março.

Confira as imagens em nossa galeria:

AT THE ‘THE LOST CITY’ WORLD PREMIERE SCREENING AT THE SXSW FILM FESTIVAL (12/03)

SBBR0001.jpg
SBBR0002.jpg
SBBR0003.jpg
SBBR0004.jpg




Para Sandra Bullock, o lar está chamando. A atriz confirmou ao ET que está dando um passo atrás em sua carreira de atriz – pelo menos, por enquanto. Enquanto Bullock disse para Cassie Di Laura do ET que ela não sabe quanto tempo vai demorar, agora ela precisa estar “no lugar que me deixa mais feliz“. E isso é em casa com seus filhos, Louis, 12, e Laila, 10. “Eu levo meu trabalho muito a sério quando estou no trabalho”, disse ela, observando que é um trabalho “24 horas por dia, 7 dias por semana”. “E eu só quero estar 24 horas por dia com meus bebês e minha família.” “É onde eu vou ficar por um tempo”, acrescentou. Então, o que está na lista de tarefas da mamãe Bullock? “Atendendo a todas as necessidades deles”, disse ela. “O calendário social deles.” Além disso, adicione uma camada de precauções pandêmicas. “Todos os pais me conhecem como a louca da pandemia“, disse ela. “Eles sabem que seus filhos voltarão sem COVID quando vierem à nossa casa”. Com o hiato de atuação da vencedora do Oscar, os fãs podem desfrutar das proezas cômicas de Bullock em seu último filme, The Lost City, estrelando ao lado de Daniel Radcliffe, Brad Pitt, Channing Tatum e, por um tempo, o traseiro de Tatum. “Channing está tão confortável consigo mesmo”, disse ela. “Ele sabia que era para uma comédia, ele não estava tentando ser sério. Ele trabalhou muito duro para ter certeza de que quando seu traseiro se transformasse num quadro que fosse perfeito. Quer dizer, eu olhei, procurei imperfeições e não vi nenhuma.” Bullock continuou: “É muito suave. Não tivemos que fazer nenhum tipo de correção de efeitos visuais. É como o bumbum de um bebê”.

Fonte: ET Online.
Tradução e Adaptação: Equipe SBBR.




Sandra Bullock já estrelou vários filmes originais da Netflix , o primeiro em 2018, Bird Box e mais recentemente estrelou em The Unforgivable, 2021. Dois filmes que não tem muito em comum, mas a atriz de 57 anos credita Netflix como um grande fator que explica por que ela ainda está trabalhando.

“Se não fosse pela Netflix, muita gente não estaria trabalhando. Suas histórias não seriam contadas”, disse Bullock em uma entrevista ao THR . “Quem pensaria que eu, como mulher, ainda estaria trabalhando neste momento? Eu estaria no pasto de vacas. É verdade.”

A atriz, vencedora do Oscar, provou que a idade é apenas um número quando sua última colaboração com a Netflix, The Unforgivable, quebrou as previsões e até chegou ao topo das paradas em cerca de 83 países.

A Netflix não mudou apenas a indústria para pessoas como Bullock; também trouxe produções estrangeiras como Squid Games para o stream, o que não era possível no passado. “Esse é um dos maiores, mas tenho visto mais trabalhos de outros países contados por outras nacionalidades, e nunca teríamos feito isso há dez anos, nunca”, disse ela. “A Netflix une as pessoas de uma forma que realmente, você sabe, estamos ficando cada vez mais divididos e, ainda assim, temos os streamers que são capazes de misturar nossas histórias e ir, veja bem, a mesma história, apenas diferente.”

Não há dúvida de que as plataformas de streaming revolucionaram toda a indústria. Há pouco tempo atrás, as pessoas precisavam ir até a locadora local para assistir ao lançamento mais recente, mas a grandeza da Netflix significa que as histórias agora estão mais acessíveis.

A carreira de Bullock parece certa por enquanto, e ela tem vários projetos pela frente, como Bullet Train, ao lado de Brad Pitt, e a comédia de aventura The Lost City, ao lado de Channing Tatum.

Fonte: We Got This Covered.
Tradução e Adaptação: Equipe SBBR.




Sandra Bullock concedeu uma entrevista ao programa Red Table Talk, apresentado por Jada Pinkett Smith, Adrienne Banfield-Norris, e Willow Smith no Facebook Watch, ontem, (01), e falou sobre diversos assuntos importantes. Confira a tradução:

Sandra Bullock admitiu que ainda está aprendendo sobre racismo enquanto cria seus dois filhos negros. “Eu pensei que tinha sido educada e acordada, pensei que tinha tudo. Eu não tinha.”

Depois de três anos de folga, Sandra Bullock está de volta com um novo filme — embora não seja o tipo de comédia romântica em que os fãs estão acostumados a vê-la. Em vez disso, seu papel em The Unforgivable, da Netflix, a retrata sob uma luz totalmente diferente como uma mulher que foi recentemente libertada da prisão e está procurando sua irmã há muito perdida. Ela se juntou à equipe do Red Table Talk, incluindo Jada Pinkett Smith, Adrienne Banfield-Norris e Willow Smith para discutir sua vida como mãe.

Durante a palestra, Bullock, que tem Laila, de 8 anos, e Louis, de 11 anos, compartilhou sua experiência com o sistema de acolhimento e como ela aborda questões sobre ser uma mulher branca criando dois filhos negros, especialmente com as questões raciais que atualmente estão fazendo manchetes.

“Eu tive uma experiência extraordinária através do sistema de acolhimento. Foi incrivelmente difícil, mas você sabe, eu tenho a filha mais gloriosa para mostrar o que existe dentro desse sistema. Então, é uma espécie de carta de amor para ela”, disse Bullock sobre sua escolha de adotar, o que foi contra as expectativas da maioria das pessoas.

“Você tem dois filhos lindos”, começou Pinkett Smith. “Você adotou Louis, cuidou de Laila e a adotou.”

“Ela estava em três sistemas diferentes antes de eu encontrá-la e ela tinha apenas 2 anos e meio”, acrescentou Bullock.

“Então, apenas me diga quando foi o momento, Sandra, que você ficou tipo, ‘Estou pronta para ter uma família e vou seguir esse caminho. Vou seguir o caminho da adoção”, perguntou Pinkett Smith.

“Não sei por que essa era a única rota, mas estou tão feliz que o universo me fez esperar”, explicou Bullock. “Me fez esperar mesmo estando ansioso e ansioso. E foi não, não vamos fazer do jeito que você acha que vai fazer. A parte mais doce disso foi que descobri sobre os dois bebês quando estava no mesmo lugar, estava no lugar onde minha mãe foi enterrada, Jackson Hole, Wyoming. Isso me deixa muito emocionado, mas me sinto além da sombra de dúvida que minha mãe me trouxe essas crianças.”

Falando sobre as questões de raça, Bullock disse que está ciente do julgamento que enfrenta e da desigualdade que inevitavelmente desafiará seus filhos à medida que crescerem. Ela também observou que não tem medo de expô-los às notícias e eventos atuais. Ela não está tentando abrigá-los, ela está apenas se certificando de que eles estejam cientes do que está acontecendo para que todos possam processá-lo juntos como uma família.

“Como um pai branco que ama seus filhos mais do que a própria vida, sei que estou colocando ansiedade existencial neles, tenho que pensar no que eles vão experimentar saindo de casa. Eles terão meu medo, mas como posso ter certeza de que minha ansiedade é precisa, protetora”, disse Bullock. “Com Lou, sendo um jovem negro, em um ponto, o doce e engraçado Lou vai ser um jovem e, no minuto em que ele sair de casa, não posso segui-lo para todos os lugares. Eu vou tentar. Estou brincando, mas não estou.”

“Eu o deixei ver tudo. Deixei ele processar. Ele sabe como o mundo funciona. Ele sabe o quão cruel é, sabe o quão injusto é, e Laila sabe”, continuou ela. “Eu os deixo me ensinar e me dizer o que precisam saber. Eu pensei que tinha sido educado e acordado, pensei que tinha tudo. Eu não tinha.”

“As pessoas já foram tipo, Sandy, por que você adotaria duas crianças negras?” Pinkett Smith perguntou.

“Adivinhe, você entende o racismo. Claro. Muito disso”, ela respondeu. “Adivinhe o quê? Sua doença não é problema meu.”

Banfield-Norris acrescentou que ela ainda está aprendendo, e se afastando da ideia de que as famílias têm que ser de uma certa maneira e “sentindo que é melhor para uma criança negra ser criada em um lar negro”. Ela continuou, dizendo: “Não é uma atitude racista, é apenas uma proteção para aquela criança. No final das contas, é uma atitude velha e cansada.”

“Minhas ideias em torno do amor e da família se expandiram”, disse Pinkett-Smith. “Cheguei à conclusão de que amor é amor.” Bullock expôs isso, dizendo aos possíveis opositores que ela quer que eles vejam que os pais lidam com as mesmas coisas, sejam elas brancas ou negras.

“Entre em nossa casa”, disse ela. “Descubra o problema de todos os pais. Eu gostaria que nossas peles combinassem? Às vezes eu gostaria. Seria mais fácil sobre como as pessoas se aproximam de nós. É a nossa ansiedade, é o nosso medo, é a nossa cruz para suportar no minuto em que você se torna mãe, e eu tenho os mesmos sentimentos que uma mulher de pele marrom e seus bebês ou uma mulher branca com seus bebês.”

Fonte: InStyle.
Tradução e Adaptação: Equipe SBBR.




“Eu não preciso de um casório para ser uma parceira dedicada e uma mãe dedicada”, disse Sandra Bullock no Red Table Talk do Facebook Watch.

Sandra Bullock não precisa de casamento para se sentir segura em seu relacionamento.

A atriz de ‘The Unforgivable’, 57 anos, aparece no último episódio da Red Table Talk do Facebook Watch, discutindo paternidade e relacionamentos com Willow Smith, Jada Pinkett Smith e Adrienne Banfield-Norris.

Fazendo perguntas dos espectadores no final do episódio, Bullock explicou sua abordagem ao casamento quando se trata do parceiro Bryan Randall, um fotógrafo de Los Angeles com quem ela começou a namorar em 2015.

“Sou alguém que passou pelo processo de divórcio. Encontrei o amor da minha vida. Compartilhamos dois filhos lindos— três filhos, sua filha mais velha. É a melhor coisa de todas”, disse Bullock, que pediu o divórcio do ex-marido Jesse James em 2010, após quase cinco anos de casamento. “Eu não quero dizer façam como eu faço, mas não preciso de um casório para ser um parceiro dedicado e uma mãe dedicada.”

“Não preciso ser instruída a estar presente nos momentos mais difíceis. Não preciso ser instituída a enfrentar uma tempestade com um bom homem”, continuou a vencedora do Oscar. “Então, se é isso que você tem…. Pense em que tipo de pai ele seria. Pense em que tipo de pai você seria. E se algo acontecesse? Vocês dois seriam ótimos pais para essas crianças, mesmo que não conseguissem como um casal. Pense nas crianças primeiro.”

Quando rumores giraram em 2018 alegando que Bullock se casou secretamente com Randall, seu representante na época confirmou ao PEOPLE que “eles não são casados”. O par particular manteve seu romance discreto ao longo dos anos, saindo para a noite de encontro ocasional juntos. Randall também acompanhou Bullock na estreia de outubro de 2015 de seu filme Our Brand Is Crisis.

Fonte: People.
Tradução e Adaptação: Equipe SBBR.




Sandra Bullock abre um novo episódio de Red Table Talk sobre o momento em que suas capacidades parentais foram questionadas antes de adotar seus filhos.

Sandra Bullock está refletindo sobre sua experiência “incrivelmente difícil” com adoção e o sistema de acolhimento.

A atriz, 57 anos, apareceu no episódio de quarta-feira de Red Table Talk ao lado de Willow Smith, Jada Pinkett Smith e sua mãe, Adrian Banfield-Norris, e se abriu sobre o processo “escuro” pelo qual teve que passar antes de receber seus filhos Louis, 11 anos, e Laila, 8.

“É um sistema que existe e as pessoas não sabem sobre isso porque é uma coisa difícil de falar. Fica profundo e escurece”, ela compartilhou sobre o sistema de acolhimento. “Quando eu mesmo passei pelo processo pela primeira vez, você tem que provar que é um pai capaz. Você está na gaiola de julgamento. Eu passei pela metade e disse que não posso fazer isso.”

Bullock continuou: “Foi uma experiência fora do corpo, pois eles literalmente se sentam e perguntam a você, então qual você acha que é o pior tipo de abuso? Qual é o pior tipo de droga ou álcool? Eu não sei, eles são todos ruins. Você só vai, se eu não responder certo, não estou em forma.”

Embora Bullock tenha dito que o processo a fez “sentir muito assustada” e questionar se ela era “suficiente”, ela espera que seus filhos, especificamente Laila — que ela revelou estar em três estágios diferentes de acolhimento por 21⁄2 — possam “mostrar o que existe dentro desse sistema”.

A estrela de Imperdoável então instou aqueles que estão considerando a adoção a prossegui-la. “Há sempre, sempre uma alma por aí que precisa que você seja o pai deles”, Bullock compartilhou no programa. “Você passou pela campainha. Eles fazem muitas perguntas. Eu tinha que fazer com que as pessoas escrevessem cartas sobre o meu personagem, como oh meu Deus.”

“Mas a alma que você deveria ser pai está lá fora e está pronta para você. Você só precisa estar disposto a percorrer a gama que parece muito violadora, que parece muito invasiva, que sente que está questionando sua capacidade de ser um pai bom e amoroso, e estar bem com isso”, continuou ela. “Porque essa alma merece ter essas perguntas feitas e quando elas encontrarem e conectarem você a ela, você entenderá.”

Fonte: People.
Tradução e Adaptação: Equipe SBBR.